Fórum

Páginas : 1 2 3 4 5

#51 26-03-2021, às 21h46

Guarda Sombra
AoiHikaru
Criadora de poções
AoiHikaru
...
Mensagens: 2 710

E D M U N D  E V E R G R E E N
https://cdn.discordapp.com/attachments/715088980638695425/824722334107041862/CollageMaker_20210325_153424465-1_Easy-Resize.com.jpg
22 ANOS ● MAGO ● ILUSIONISTA ● 174cm ● HOMO


INTERAÇÃO: Caius
LOCALIZAÇÃO: Arena de Duelos >> Quartos


----------------------Pensativo, Edmund levou os nós dos dedos atapetados pelas luvas de encontro ao queixo, onde permaceram apoiados. Não se lembrava de já ter encontrado o maior pelas vielas familiares, entretanto, era algo bem possível. —Talvez já tenhamos realmente nos esbarrado por ai... São tantos turistas que nunca se sabe — franzia ligeiramente a glabela, como fazia ao estar matutando uma questão. —Você tem alguma loja por aqui? — perguntou, subindo os orbes prateados sob as alvas pestanas, mirando o outro. Mas antes que pudessem se estender muito mais sobre as lojas e posses de cada um, e seus possíveis encontros, a ironia alheia tomava sua parte na conversa, fazendo com que o albino fechasse a cara. —Eu quis dizer que é imponente, combina com a minha pessoa, okay? — explicou, bufando e cruzando os braços. —Sem contar que quanto mais chamativo e grandioso, mais eu me identifico — dizia em tom pedante, dando um leve tapa à parte mais longa dos cabelos incolores para que esvoaçassem.

----------------------Apesar dos pesares, tudo estava correndo a favor de si, e não tinha queixas para fazer para a vida. Pois bem, tinha conseguido sua invocação e fechado um pacto com ele, todo o necessário para o seu tão sonhado ingresso no Instituto de Arcanis Viritia, e ali estavam, uniformes em mãos, prontos para a vida acadêmica. Só ainda restava um passo para de fato, selar a tal "união". Por mais que essa fosse a parte que mais o preocupava, tinha dado a sua palavra. A antecipação crescente fazia bombear o seu coração, quase tão alto que um pouco mais, e o hipogrifo seria capaz de escutar. —Mas é claro que não fugiria — deu de ombros. —Se eu fugisse de desafios, como eu surpreenderia a platéia? — piscou, voltando a assumir o timbre confiante. Falsa confiança, vale mencionar. Edmund até mesmo evitava o contato direto, fitando de canto o maior. Aquele sorrisinho mal intencionado desenhado no rosto alheio punha ainda mais calor em suas maçãs ruborizadas, situação sua piorada somente pela presença alheia aproximar-se da sua.

----------------------Até mesmo sob tamanha ingenuidade, Edmund era capaz de perceber a malícia que a voz alheia carregava. O Evergreen não notara ao dizer aquelas palavras, mas vendo o sorriso lânguido que o outro mostrava e seu jeito maroto, apercebia-se da possível atribuição mal interpretada que o que dissera poderia ter. Por breves instantes, as pepitas de prata de seus olhos responderam ao olhar intenso que recebia, antes de desviar o rosto, com um "hmph". —Privilegiada é pouco, meu querido Hipogrifo, é de Edmund Evergreen que estamos falando, sinta-se lisonjeado pelo vista — posou de galante em tom pomposo, mas evitava o contato visual a todo custo, olhando ao longe, olhando para tudo que não fosse Caius. E aquela criatura era esperta, parecia saber exatamente como desestabilizar o mago, voltando o olhar para o canto dos olhos, a tempo de ver a piscadela e a expressão piadista com a língua. —Eu nunca sei o que é sério no que você fala e o que não é — ergueu uma celha, confuso. O que aquela bendita galinha gigante queria dizer?

----------------------Edmundo já sentia-se Impaciente, batendo a ponta do pé no chão. —Essa é a primeira coisa sensata que você disse desde que chegamos aqui — alfinetou, voltando um sorriso um tanto debochado para o outro. Mas ele estava certo no que dizia, era hora de resolverem de uma vez por todas a pendência. —Vamos! — anunciou contente, apontando para a frente.

----------------------Conquanto, Edmund também não sabia ao certo como chegar aos dormitórios, afinal, era a primeira vez que pisava no Instituto. Mas não importava, tinha funcionários espalhados por todas as partes, e tudo o que precisou foi aproximar-se de uma deles, e com seu charme e carisma, conseguir a descrição perfeita do trajeto e receber um par de chaves. Muitos andares após no elevador, e estavam adentrando o quarto que seria seu dali em diante. Torceu imediatamente os lábios, erguendo a celha no cenho franzido ao ver que apenas uma cama existia ali. Teriam que dormir...juntos? Engoliu a seco, olhando o restante do ambiente. —Até que não é nada mal — comentou com agrado. O quarto era muito bonito. —Tenho que admitir, amo a arquitetura dessa cidade — dizia correndo as pontas dos dedos pelos ramos que cresciam numa das colunas. Continuando seu caminho, sentou-se sobre a cama macia, o colchão ondulando-se com seu peso. Era tão fofo! Mas, não era para admirar a arquitetura ou mobília que ali estavam. —Mas então, vamos aos negócios? — perguntou, cruzando aa pernas. Levou uma das mãos à ponta do laço que prendia ao redor do pescoço, e puxando-a, o laço se desfez pouco a pouco, até ser completamente desmanchado e a fita cair sobre a cama. Céus, como estava ansioso!


https://64.media.tumblr.com/71576a8a88188719bf2d921b4e9176d1/c26dd144d98be64d-97/s1280x1920/b183e89255d04e16fb4e33a8e72d25582a92543c.gifv

Offline

#52 27-03-2021, às 17h12

Guarda Sombra
CocoNut
Procurando um colchão
CocoNut
...
Mensagens: 29


https://i.postimg.cc/wTczQfbG/Valerie-divis-ria.png
https://i.postimg.cc/FHTQ2fvb/Valerie-Perfil.png
https://i.postimg.cc/wTczQfbG/Valerie-divis-ria.png
I N T E R A G I N D O :  Eztli   L O C A L :  Arena de Duelos
https://i.postimg.cc/wTczQfbG/Valerie-divis-ria.png
https://i.postimg.cc/XNBV7jZP/Valerie-Turno.png


https://i.postimg.cc/13yQbvnw/dirrrrk.png
"The prince is awake "

Offline

#53 29-03-2021, às 17h17

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/1XcCN2R/AYDAN-ED.gifhttps://i.ibb.co/N7hdyC9/IMG-3376.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ OPHELIA ARTEMIDAE (@Salanderinlove)_____||_____L O C A L .*___ARENA DE DUELOS

 

______________Aydan conseguiu perceber a expressão que a criatura fizera ao ouvir a palavra “metrópole”. Ela provavelmente não fazia a mínima ideia de como era um cidade de verdade.  ————  Sim uma metrópole, inclusive, Arcanis também é uma. Algum dia a gente vai ter tempo de sair e eu vou te mostrar como que é o "meu mundo". Se você quiser, claro.  ————  Arcanis Viritia estava longe de ter as dimensões de Melbourne. Apesar de crescer na vertical e acarretar um número muito grande de edifícios e pessoas, era um espaço citadino consideravelmente reduzido. O que era compreensível já que ali só viviam magos ou criaturas mágicas, que faziam parte de uma percentagem muito pequena da população mundial.

As feições da Cervitaura rapidamente se iluminaram ao ouvir a palavra “duelos”. Como já suspeitava, ela parecia ser daqueles seres que gostavam de pôr-se à prova, testar as suas habilidades. Não achava algo mau, só não esperava por aquela reação tão efusiva. Ele mesmo estava bastante animado com a ideia de combater contra outros magos, embora não tencionasse meter-se em situações que levassem a isso.  ————  Ahah vejo que está ansiosa. Não se preocupe, se tiver sorte, pode ser que nalguma aula peçam p'ra gente duelar com alguém.  ————  não sabia muito bem como funcionava a escola ainda, mas achava que era provável algo assim acontecer. Seja para demonstrações ou até provas das habilidades aprendidas e adquiridas ao longo dos treinamentos. Pareceu-lhe bastante lógico e razoável no momento.  ————  Agradeço, mas não se sinta pressionada. Vai dar certo, certeza.  ————  falou com um ar convicto após a fala de Ophelia.

O que se seguiu ao seu episódio de constrangimento nunca teria passado pela cabeça de Aydan. A mulher, sem muitos rodeios, tirou o papel no chão e – com o seu casco – esmagou a caneta sobre ele espalhando a tinta de uma forma despachada.  ————  Eh- Uow... não esperava por isso, mas acho que serve sim.  ————  a força que usou e facilidade com que ela tinha quebrado o instrumento de escrita tinham sido impressionantes. Agora estava mais que claro na sua cabeça que não deveria irritar Ophelia, tentaria ao máximo não fazer nada que ela não gostasse. Riu do pensamento, pigarreando logo de seguida. Se ele continuasse sorrindo sozinho ela começaria a pensar que ele era louco.  ————  Ah, pois é, agora que já está o contrato fechado eu já posso desfazer o círculo e te tirar daí.  ————  apressou-se a desfazer o desenho de areia mágica com o pé e então, libertar a Cervitaura do encantamento.  ————  Bem, acho que já sentiu seus poderes a voltar. Agora que já estamos feitos vamos buscar nosso uniforme.  ————  arranjar uma roupa que servisse à criatura mágica que o acompanhava iria ser difícil, mas preferiu não fazer comentários sobre o assunto. Não queria passar pelo constrangimento de há pouco.

Seguiram em direção à mulherzinha que estava distribuindo os trajes aos outros alunos e respetivas duplas. A eles foi-lhes entregue um fato com uma mistura de cores que o agradou bastante – até mais do que imaginara. Eram roupas brancas, com preto e um violeta rosado, bem bonito e estiloso. Olhou para Ophelia. ————  E aí, o que achou? Suponho que não esteja acostumada a trajes desses...  ————  esperava que ela partilhasse da mesma opinião e que gostasse – minimamente – do uniforme que via à sua frente.  ————  Ah e já agora, está com fome? Faz tempo que eu não como acho que já está na minha hora. O que acha de uns sanduíches da minha mãe? Juro que são bons ahah  ————  talvez tivesse sido uma pergunta idiota, não sabia se ela comia outras coisas para além de frutas silvestres... mas valia a pena pelo menos perguntar não é mesmo?
   
 

M A G O  D E  O P H E L I A 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A S
https://i.ibb.co/XCdHyQY/734-Sem-Ti-tulo-20210219041433.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#54 30-03-2021, às 00h52

Guarda Absinto
Salanderinlove
Magizoologista
Salanderinlove
...
Mensagens: 3 026

https://64.media.tumblr.com/e937b01b2088b699499284d70da83a6c/bca922a6122852a7-54/s2048x3072/86b1fb8cfb3b49c64e69dde0906cebf282339416.png
Interagindo com: Aydan Cross (OC de @Riikaa).
Local: Arena de Duelos.
Trilha sonora: Into The Unknown - AURORA

Ophelia deixou escapar uma pontada de empolgação com a fala do humano. Visitar a metrópole lhe parecia interessantíssimo! Se perguntava o que iria encontrar. Sabia que haviam muitos aparelhos tecnológicos, ao menos era isso que os anciões de seu bando diziam que era a ruína daqueles que viviam na modernidade. Para ela, com tudo, não havia nada a temer quanto à nenhum objeto, quem os controla são aqueles que os tem em mãos.
- Mal posso esperar pela oportunidade. - Disse se contendo. - Eu já ouvi falar sobre... Celulares. - Falou agora séria, deixando transparecer um ar amedrontado que ela queria esconder - Eles existem? Não sei como os anciões do meu bando possuem conhecimento sobre essas coisas, mas dizem ser um dos motivos pelo qual o bando não deve nunca se render às tecnologias humanas. São tão assustadores assim? Posso ver um? Ter um? Domar um? - Ophelia imaginava que celulares seriam seres pensantes e vivos.

A cervitaura assentiu, não havia muito mais que dizer sobre os duelos, agora só lhe restava aguardar a primeira oportunidade. Mas agora tinha certeza de que queria estar preparada, e já estava colocando em mente retomar seus treinos, os mesmos que fazia em seu lar, lutando contra outros de seu bando, principalmente machos por serem físicamente mais fortes. Teria que encontrar novos sacos de pancadas.

Aydan observara impressionado a proeza de Ophelia com a caneta, e ela bufou orgulhosa. Ora essa, ele estava acompanhado de uma criatura magnífica! Pensou vaidosa.
O círculo que a prendia e anulava seus poderes se desfez tão logo o mago espalhou a areia usada para realizar o feitiço. Sentiu sua magia e vitalidade retornarem ao seu corpo, com todo vigor.
Ophelia saiu elegantemente do local onde antes estivera o círculo e se espreguiçou. Depois disso colocou seus cascos na grama fresca e com uma das mãos puxou algumas folhas, farejou-as e logo depois levou à boca. Provou a grama delicadamente, e sentiu-se satisfeita com o gosto. Somente mascando aquelas gramíneas, podia notar que havia um grande poder na natureza de Arcanis Viritia e isso a beneficiaria, sem sombra de dúvidas. Seguiu o mago em silêncio, até chegarem à uma figura feminina que era ainda menor que o garoto, ela segurava um par de uniformes com detalhes roxos, que entregou um conjunto para cada um da dupla.

A princípio, tocou aquele tecido duvidosa. Não estava acostumada com panos, sendo folhas costuradas seu traje ideal para lhe cobrir os seios e nada mais. Analisou e esticou cada peça, jogando sapatos, meias e a blusa com ombreiras para longe.
- Vou ficar com a saia. - Disse simplesmente. Pegando a peça de roupa e passando por cima de sua cabeça, até que a mesma chegasse em sua cintura humana. - Posso costurar folhas tingidas de roxo para vestir combinando - Comentou. A garota, que Ophelia imaginava ser uma assistente, apesar de demonstrar relutância contra seu novo look, ficou quieta após ver a cervitaura a encarar com um olhar de "Você não vai querer me obrigar a usar meias, vai?".
- Eu gostei. Nunca imaginei que ficaria bem de roxo, mas contrasta com meus pelos turquesa - Disse satisfeita dirigindo-se ao mago.
A menção aos sanduíches, seja lá o que fossem, fez a barriga de Ophelia roncar, ela nem havia tido a chance de comer suas frutinhas colhidas no entardecer.
- Que tipo de iguaria é esta, san...sanduíche? - Perguntou, curiosa e faminta.

Offline

#55 01-04-2021, às 23h34

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/pQ1XPJs/CHEETAH-ED.gifhttps://i.ibb.co/drt7dM0/IMG-3375.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ CENTURION SATYR CERNUUM (@Sorene)_____||_____L O C A L .*___ARENA DE DUELOS

 

______________O que veio a seguir àquele silencio ansioso trouxe a Cheetah um misto de sentimentos. Ela achou que estaria perdida, totalmente encalhada em qualquer tipo de adivinha que pudesse ocorrer à mente da criatura e posteriormente dita por esta. Mas uma certa paz interior instalou-se no seu peito. Ela não entendia bem o porquê, já que não tinha escutado nada do que ele lhe dissera. “Acordou” do seu transe e olhou para ele atordoada. Até meio envergonhada por não ter prestado atenção. Aquele era um momento tão importante, como assim ela tinha deixado passar?! A sua mente traiçoeira não a tinha deixado concentrar-se no que realmente valia a pena. A distração da calmaria que sentiu momentos atrás de nada lhe serviria caso Chee não soubesse responder à tal adivinha – que por sinal já a estava a deixar extremamente ansiosa. Juntou as pontas dos dedos à frente do peito e começou a brincar um pouco com as mãos em nervosismo. Qual seria a reação do centauro caso ela lhe pedisse para repetir a sua fala?  ————  Ahm...  ————  estava hesitante. A cara séria e indecifrável que ele apresentava era impossível de ler – até porque por natureza, Azwit já era péssima em entender as expressões alheias. Esperava que ele fosse simpático e deixasse passar a sua falta de atenção. Os olhos esverdeados, que antes olhavam em outras direções evitando o semblante do ser mágico, tomaram coragem de encará-lo.  ————  Desculpe, eu acho que me perdi nos meus pensamentos. Importa-se de repetir a adivinha para mim? Por favor.  ————  ele não reagiu mal. Só isso já foi um alívio tão grande que fez Cheetah suspirar parecendo ter um peso saindo das suas costas. Porém, também não parecia muito contente, embora não tenha acabado recusando a repetição que lhe fora solicitada. A garota abriu um sorriso tímido no rosto e, assim que as palavras começaram a ser proferidas novamente, a sua face tomou um ar sério e de extrema concentração. Não queria perder nada dessa vez, nenhum detalhe, nem um ponto final sequer!

Quando Centurion terminou a maga demorou um tempo para absorver todas as linhas de informação. Recuou o tronco – que tinha inclinado para a frente de forma a ouvi-lo melhor – e colocou uma das mãos no queixo segurando o cotovelo com a outra. Estava pensativa. Sabia que não tinha todo o tempo do mundo, mas algo lhe dizia que conhecia a resposta àquele problema e que, na realidade, era mais fácil do que estava à espera. Analisou a adivinha parte por parte e depois como um todo, tentando espremer o máximo de significados que conseguia tirar dali de forma a originar soluções lógicas. De repente, o seu olhar iluminou-se e um sorriso de orelha a orelha se formou em seus lábios. Ela tinha encontrado. Tinha encontrado a resposta. Será que estava certa? Bem, na sua cabeça fazia sentido, e tudo indicava que sim... mas veria o que a criatura lhe diria perante o grande achado.  ————  Está falando de uma geode de pedra esmeralda.  ————  podia errar, mas estava convicta do que dizia. A segurança nas suas ideias e opiniões assim como a autoconfiança sempre foram um mais a manter na sua personalidade forte. Porém, bem lá no fundo ela sentia que já tinha ganho, tinha ultrapassado aquele “obstáculo” com sucesso. Afinal, ele tinha desafiado uma perita apaixonada por pedras preciosas. A sua coleção não mentia. De entre tantas joias que possuía algumas delas enquadravam-se na classe das geodes. E as esmeraldas eram, de longe, uma das suas prediletas.

Claro que Chee não conseguia esperar muito para saber o seu resultado e, assim que falou a sua resposta, já estava pedindo uma reação do mais alto.  ————  E então? Acertei??  ————  com a mão, tapou a boca rapidamente.  ————  Sou meio impaciente às vezes, perdão.  ————  diria mais que a sua impaciência estava presente em todos os momentos do seu dia e mais alguns, mas talvez o assustasse caso lhe fosse revelado. Não que o centauro não fosse descobrir, eventualmente, se firmassem o contrato. Estava nervosa. A sua ansiedade só iria embora quando visse o pergaminho firmado pelo homem invocado. As orbes verdes, que, por um acaso do destino (ou talvez não), se assemelhavam às pedras da adivinha, miravam inquietas para os outros magos já desfazendo os seus círculos mágicos e dirigindo-se com as suas duplas para a entrega dos uniformes. Quando seria a sua vez também? Não queria ir embora como uma falhada de novo.

 

M A G A  D E  C E N T U R I O N 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A S
https://i.ibb.co/12g6hr6/734-Sem-Ti-tulo-20210219040423.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#56 04-04-2021, às 19h28

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/1XcCN2R/AYDAN-ED.gifhttps://i.ibb.co/N7hdyC9/IMG-3376.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ OPHELIA ARTEMIDAE (@Salanderinlove)_____||_____L O C A L .*___ARENA DE DUELOS
   

______________Perceber as reações de Ophelia ao que ele lhe dizia parecia-lhe uma tarefa não muito complicada. A criatura era fácil de ler quando se tratava de determinados assuntos – pelo menos vinha sendo assim até agora, durante os (no máximo) dez minutos, que passaram ali a conversar. Era simples pois a mulher só tinha dois caminhos de reação quando o tema se tratava de modernidade: ou ficava desgostosa, ou parecia interessada. No caso da azulada, era, felizmente, a segunda opção. Aydan observou, contente, o brilho no olhar da criatura quando a sua fala foi dita. Ela parecia bem curiosa mesmo, conhecer lugares novos e coisas novas parecia algo que iria agradá-la bastante. Porém, claro que era de se esperar um pouco de receio por parte da moça. O desconhecido era sempre temido... mas ele estava ali para esclarecer as dúvidas dela até onde o seu conhecimento alcançasse.  ————  Ohh celulares, eles existem sim. Mas não se preocupe, eles podem ser fonte de alguns males em alguns casos mas trazem muitos benefícios também.  ————  começou a remexer uma das bolsas que tinha pousado no chão. Tinha guardado o aparelho num lugar seguro pois não sabia se fazia alguma interferência na hora da invocação. Provavelmente não, mas mais valia prevenir do que correr mal e ter de remediar depois.  ————  Eles não são nem um pouco assustadores, pode ficar descansada ahaha estou aqui procurando o meu p'ra te mostrar... ai mas onde é que tá... hmm acho que não dá p'ra domar um celular. Eles são aparelhos não têm vida própria, servem para nos auxiliar simplesmente.  ————  passou a investigar a outra sacola.  ————  Você pode ter um sim, mas talvez seja difícil mexer nele, claro que depois eu ensino como usar... eles funcionam com impressão digital e aviso que não pode sair quebrando-os que nem fez com a caneta... ah achei!  ————  retirou o celular e elevou-o para que Ophelia pudesse vê-lo. Como o seu movimento foi brusco ela pareceu recuar a cabeça por reflexo, mas vendo que não se tratava de nenhuma ameaça e sim de um simples "retângulo preto", voltou à sua posição inicial e começou a sua observação detalhada.  ————  A gente vai ter tempo de explorar as funcionalidades desse menino aqui, agora tá na hora de ver dos nossos trajes.  ————  disse guardando o aparato novamente, desta vez no bolso traseiro da calça que vestia.

Agora – já na parte da entrega dos uniformes – observava divertido, o ser mágico que o acompanhava. Ela analisava cada peça e esticava os tecidos com tanta força – que provavelmente para a mulher não era nada demais – que Aydan quase cogitou ter de pedir novas roupas para a maga que lhas entregara. Alegrou-se por não ter de recorrer a isso. Viu Ophelia jogar tudo para longe ficando apenas com a saia. Ele e a pequena mulher entreolharam-se. O moreno só queria que ela concordasse com as escolhas da Cervitaura e tudo ficaria bem. Afinal, não devia haver muito problema em cobrir-se só com folhas, certo? Queria crer nisso.  ————  Vem Ophelia, vamos comer vamos comer. É, contrasta mesmo, ficou bom em você.  ————  deu um sorrisinho tímido para a assistente e então saiu com a sua dupla.  ————  Sanduíche, você não conhece?... ah, claro, pois, ehh claro que não conhece né. Bem, sanduíche é um pão com vários ingredientes dentro. É bom, muito bom aliás!  ————  Aydan recorreu de novo à sua bolsa pegando em duas sandes embrulhadas em papel de cozinha. Retirou uma delas do papel que a envolvia e estendeu-a à azulada.  ————  Aqui, vê se gosta.  ————  a comida que a sua mãe fazia era a melhor, sem dúvida. Pelo menos para ele, obviamente. Só de pensar que teria de sobreviver os próximos tempos sem nenhum pratinho preparado pela progenitora... ia ser duro. Esses pensamentos tristes só aumentavam a sua fome. Apressou-se a tirar o seu pão do papel e começar a comer. A cada dentada parecia subir mais um degrau da escadaria até ao céu. Que deusa da gastronomia essa minha mãe. Enquanto se deliciava com a sua comida ia esperando que a criatura gostasse de todos os alimentos que compunham a sanduíche.  ————  E então, gostou?
   
 

M A G O  D E  O P H E L I A 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A S
https://i.ibb.co/XCdHyQY/734-Sem-Ti-tulo-20210219041433.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#57 05-04-2021, às 14h20

Guarda Absinto
Salanderinlove
Magizoologista
Salanderinlove
...
Mensagens: 3 026

https://64.media.tumblr.com/e937b01b2088b699499284d70da83a6c/bca922a6122852a7-54/s2048x3072/86b1fb8cfb3b49c64e69dde0906cebf282339416.png
Criatura Mágica do mago Aydan Cross.
Interagindo com: Aydan Cross (@Riikaa).
Local: Arena de Duelos.
Trilha sonora: Into The Unknown - AURORA

Ophelia deixou o queixo cair ao ver o tão misterioso celular. O do jovem mago era de coloração preta, com um formato retangular, possuía uma tela que acendeu quando ele tocou no objeto.
- Ohhh... - Falou admirada. - Não vejo a hora de ter o meu! Mas preciso do papel valioso para conseguir, certo? - Perguntou, referindo-se à dinheiro. É isso que vocês humanos fazem, não? Vendem o seu tempo em troca do papel  para comprarem essas coisas. - E apesar de soar como uma crítica, a cervitaura falava inocentemente, baseando-se apenas na realidade. Ela nunca entrara em contato com a humanidade mas possuía certo conhecimento, passado de geração em geração pelos anciões de seu bando.

Ophelia fez uma mesura, agradecendo à Aydan pelo elogio.
- Você também não está nada mal, mago novato. - Disse sorrindo de canto enquanto dava uma cotovelada amigável no ombro do humano.
Aydan alcançou um sanduíche para a Cervitaura, que primeiramente fitou a comida, analisando cada camada. Tentou disfarçar para não parecer grosseira, mas deu uma cheirada no lanche, era um costume seu, apesar de saber que não era bem visto por várias outras espécies. Após a checagem do cheiro, Ophelia pegou o sanduíche com as duas mãos e levou à boca, provando lentamente, mastigou várias vezes e então deu uma segunda mordida.
- É... MUITO bom! - Disse dando um salto. - Essa coisa branca e fofa, ela existe na minha terra! Chamamos de Pita. Geralmente comemos com mel, ou geléia! Mas nunca tinha pensado em criar camadas dentro dele!! - Estava empolgada, e também nostálgica. Estava há poucas horas longe de casa, mas já sentia saudade ​de sua floresta, sabia que sentiria falta principalmente dos animais da floresta, com quem ela conversava mais que com os próprios de sua espécie.
Em sua boca, um ingrediente em especial chamou a atenção do paladar de Ophelia. Era um gosto que ela nunca havia provado. Parecia picante, um pouco ardido, e ácido.
- Qual é o nome dessa meleca amarela dentro do sanduíche? É deliciosa!! Estou sentindo arder em minha boca até agora! - Com isso ela lambeu os dedos que estavam sujos de mostarda.

Enquanto comia, Ophelia andava ao lado de Aydan. Estava ansiosa para conhecer os aposentos que ela e o mago dividiriam. Isso ainda a preocupava um pouco, apesar de jovem, o garoto ainda era um homem, e ela, como uma escolhida de Ártemis aprendera a não confiar facilmente nos machos de todas as espécies. Permaneceria alerta, por mais que em seu coração ela soubesse que o mago não lhe oferecia risco algum.
- Como será nosso alojamento? Afinal, iremos morar aqui a partir de agora, sim? - Ela perguntava já esperando que a resposta fosse uma afirmação. - Espero que eu possa levar algumas plantas e deixar os passarinhos fazerem ninhos pelo quarto!

Offline

#58 08-04-2021, às 05h22

Guarda Absinto
Lady0Midnight
Criadora de poções
Lady0Midnight
...
Mensagens: 2 575

https://cdn.discordapp.com/attachments/815346042757316648/829631943699202068/laurent-turno-1.gif


https://media.discordapp.net/attachments/822316628372881418/884184880131481641/Renga.gif

Offline

#59 08-04-2021, às 18h55

Guarda Sombra
AoiHikaru
Criadora de poções
AoiHikaru
...
Mensagens: 2 710

https://cdn.discordapp.com/attachments/815358125313097799/829836456255422464/turno_Hayami2.png


https://64.media.tumblr.com/71576a8a88188719bf2d921b4e9176d1/c26dd144d98be64d-97/s1280x1920/b183e89255d04e16fb4e33a8e72d25582a92543c.gifv

Offline

#60 09-04-2021, às 01h51

Guarda Sombra
AoiHikaru
Criadora de poções
AoiHikaru
...
Mensagens: 2 710

K I Y O  C H I B A
https://cdn.discordapp.com/attachments/715088980638695425/824722334472077312/CollageMaker_20210325_152113010-1_Easy-Resize.com.jpg
20 ANOS ● MAGO ● WARLOCK ● 167cm ● HOMO


INTERAÇÃO: Anton e Dark
LOCALIZAÇÃO: Arena de Duelos


----------------------A melhor parte da viagem, de fato, era implicar com Boing Boing até que seu extenso repertório de piadas para zoar com a cara da rosada se esgotasse, ou que apagasse pelo cansaço. Era mesmo um alívio tê-la por perto. Se não fosse a companhia da prima distraindo sua mente com piadas e besteiras que apenas os dois entendiam, de certo se entregaria perdição da ansiedade que a prova de admissão da escola de magia significava em sua mente. Teria ficado sozinho no quarto, deitado em posição fetal, esperando o fracasso – que de fato ele era – o dominar por completo, enquanto fugia da humilhação que com certeza enfrentaria a seguir. Mas Hayami não o permitira desistir, e graças a ela, nem teve tempo para cogitar a opção.

----------------------E quando menos podia esperar, já estava dentro dos portões da academia, indo até a moça responsável para pegar sua pedra. —W-warlock — respondeu sem nenhuma segurança, em tom baixo e evitando o contato visual com a monitora, que prontamente lhe entregou a pequena pedra redonda. Os olhos do aspirante a mago caíram instantaneamente na roxa colorida em sua mão. Como um agente pacificador, com o indicador rolava a pedrinha na palma, reparando nas “veias” rosadas que subiam pela extensão roxa. Aquilo realmente parecia corrompido. Tinha uma aparência bastante interessante. Um pequeno sorriso se formava nos lábios do rapaz ao observar a pedra.

----------------------Não estava seguro de absolutamente nada, nem mesmo do desenho do sigilo no chão. Parecia completamente torto e esquisito, não tinha a cara de que funcionaria. Aquilo com certeza não tinha serventia. Ia fracassar, como bem esperava. Sentia seu coração retumbando no peito. O nó se formava em sua garganta, segurando as lágrimas nos olhos. Queria chorar. Por mais que soubesse que em nada daria, não podia deixar de se entristecer ao pensar em não passar no teste. Franziu a testa, arqueando as sobrancelhas em ”us”. Queria tanto estar ali! Era estupido pensar só então no quão enorme e massacrante a vontade de ingressar em Arcanis era, pesando sobre os seus ombros. Seu coração parecia se apertar ao ponto de reduzir-se ao tamanho de uma ervilha. Sentia como se fosse tão...injusto que não conseguisse!

----------------------Engoliu a seco. Respirou fundo. E juntou em si toda a vontade que surgia em seu ser, imaginando que ela tomasse forma e virasse uma esfera luminosa em sua mente. E, segurando firmemente nas mãos a pequena pedra rosada, que agora parecia tão pesada, proferiu o encantamento:
—Com essa pedra eu vos chamo
Com a minha voz eu vos desperto
O etéreo se faz de meu manto
E vos traz a este círculo de encanto

Vos convoco, oh que estais inerte
Venha a mim
Desperte! —


----------------------E tudo o que teve tempo de fazer fora fechar os olhos quando a agressiva e muito mais intensa que o normal luz reluzia ofuscante dentro do círculo. Queria olhar, mas era impossível que conseguisse sem que derretesse os olhos. O que estava havendo? Por que sua luz parecia tão mais forte que as das outras invocações ao redor? Havia conseguido ou aquilo era um mal sinal?


https://64.media.tumblr.com/71576a8a88188719bf2d921b4e9176d1/c26dd144d98be64d-97/s1280x1920/b183e89255d04e16fb4e33a8e72d25582a92543c.gifv

Offline

#61 10-04-2021, às 00h06

Guarda Absinto
Azathoth
Procurando um colchão
Azathoth
...
Mensagens: 13

//i.ibb.co/XCfw9mw/turnodark01.png


imagina uma assinatura linda aqui rs

Offline

#62 10-04-2021, às 03h52

Guarda Absinto
Lady0Midnight
Criadora de poções
Lady0Midnight
...
Mensagens: 2 575

https://cdn.discordapp.com/attachments/815346042757316648/830334369029685268/sophia_turno_1.jpg


https://media.discordapp.net/attachments/822316628372881418/884184880131481641/Renga.gif

Offline

#63 10-04-2021, às 05h33

Guarda Absinto
Lady0Midnight
Criadora de poções
Lady0Midnight
...
Mensagens: 2 575

https://cdn.discordapp.com/attachments/815346042757316648/830359794316476427/caius_turno_3.jpg


https://media.discordapp.net/attachments/822316628372881418/884184880131481641/Renga.gif

Offline

#64 17-04-2021, às 04h32

Guarda Sombra
AoiHikaru
Criadora de poções
AoiHikaru
...
Mensagens: 2 710

https://cdn.discordapp.com/attachments/815358125313097799/832880825762185216/turno_yin_yang_1.png


https://64.media.tumblr.com/71576a8a88188719bf2d921b4e9176d1/c26dd144d98be64d-97/s1280x1920/b183e89255d04e16fb4e33a8e72d25582a92543c.gifv

Offline

#65 17-04-2021, às 16h46

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/1XcCN2R/AYDAN-ED.gifhttps://i.ibb.co/N7hdyC9/IMG-3376.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ OPHELIA ARTEMIDAE (@Salanderinlove)_____||_____L O C A L .*___ARENA DE DUELOS

 

______________O queixo caído de Ophelia fez Aydan conter o riso. Ela realmente não conhecia nada do mundo humano. Achava legal... de certa forma. Era como se viessem de planetas diferentes. Porém, ver que ela sabia que era necessário dinheiro para comprar o aparelho eletrónico deixou-o um pouco surpreso.  ————  Sim, exatamente. Esse “papel” a gente chama de dinheiro. O dinheiro serve para nós comprarmos não só celulares mas tudo o que a gente precisa para viver no dia a dia.  ————  a expressão da Cervitaura era uma de espanto. Com certeza estava acostumada a colher alimento e até roupa – as folhas no caso – apenas à base do que lhe era dado pela natureza... pagar até por produtos naturais era coisa dos humanos.  ————  Para conseguir o tal dinheiro a gente trabalha... que é mais ou menos vender nosso tempo, como você disse. Há muitos trabalhos ao redor do mundo, também há pessoas que ganham mais papel que outras... em fim, por aí vai.  ————  explicar como funcionava a lei humana era bem mais complicado e complexo do que estava à espera. Mas iria aos poucos. Também não tinham pressa e Ophelia parecia aprender rápido.

Agradeceu o elogio da azulada com um sorriso. Tinha gostado das roupas, podia concordar que não lhe assentavam mal. Mas agora a prioridade era saciar a sua fome de leão. Ia fitando a criatura que parecia analisar cuidadosamente cada pedaço da comida. Porém, por fim, levou a sanduíche à boca e deu uma grande trinca. Aydan estava ansioso por saber como ela reagiria àquela nova mistura de sabores. Esperava sinceramente que fosse do seu agrado. Felizmente, Artemidae gostou do preparado de sua mãe. Soltou um suspiro de alívio discreto e sorriu animado.  ————  Você gostou? Sério? Que bom ahah não sou um grande cozinheiro mas pelo menos esses lanchinhos eu sei fazer!  ————  era provável que a partir dali passassem a comer sandes regularmente.  ————  Ohh Pita, não está muuuito longe da denominação dos humanos. Nós chamamos isso de Pão e temos vários modos de preparação, inclusive com geleia de frutas e mel também. Se quiser comer disso pode pedir, capaz de não ser tão bom como o natural, mas é saboroso.  ————  deu uma nova mordida na sua sanduíche rindo com a pergunta.  ————  Ahah isso a gente chama de mostarda, é um molho muito bom não é? Eu adoro misturar com a comida.  ————  o moreno seguiu andando acompanhado da Cervitaura que se deliciava com os alimentos. Dirigiam-se ao corredor dos quartos mas antes disso ainda tinham de subir algumas escadas. 

  ————  Sim sim, a partir de hoje vivemos aqui na escola de magia mas, sinceramente, não sei como que vai ser o quarto. Espero que seja grande, sei que vamos precisar de bastante espaço.  ————  não sabia quais eram os hábitos de dormir de Ophelia, mas ela era um ser grande, então precisava de um cómodo que atendesse às suas necessidades.  ————  Acho que plantas está liberado você levar, mas em vazo... já os pássaros, provavelmente iriam sujar muito o cómodo então acho que não os vamos poder deixar dentro. Mas podemos tê-los à janela do lado de fora.  ————  Aydan falava normalmente na esperança de que a azulada compreendesse todos os termos que ele estava a utilizar. Bem, caso não percebesse sabia que ela faria questão de perguntar.  ————  Que cor você gosta? Podemos decorar o espaço no seu tom favorito. Quero ter uma roupa de cama e cortinas azul claras, ou talvez cinza...  ————  não era a pessoa mais indecisa do mundo, mas estava tão entusiasmado em finalmente ter ingressado em Arcanis que tudo parecia precisar de ser pensado com cuidado. Até as longas escadarias pareciam não custar nada a subir só com a animação em ver o que os esperava no andar superior. Queria ver o local onde residiria, sabia que independentemente de como fosse – desde que não estivesse caindo aos bocados – iria gostar.
   
 

M A G O  D E  O P H E L I A 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A S
https://i.ibb.co/XCdHyQY/734-Sem-Ti-tulo-20210219041433.png

Última modificação feita por Riikaa (20-04-2021, às 15h08)


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#66 23-04-2021, às 17h16

Guarda Absinto
Salanderinlove
Magizoologista
Salanderinlove
...
Mensagens: 3 026

https://64.media.tumblr.com/e937b01b2088b699499284d70da83a6c/bca922a6122852a7-54/s2048x3072/86b1fb8cfb3b49c64e69dde0906cebf282339416.png
Criatura mágica do Mago Aydan Cross (@Riikaa).
Interagindo com: Aydan Cross (OC de @Riikaa).
Local: Arena de Duelos.
Trilha sonora: Into The Unknown - AURORA

Ophelia apenas fitava o mago, que não continha suas risadas ao ver a reação dela ao provar o sanduíche e, principalmente, a mostarda. Aydan ainda riria muito devido à falta de noção da Cervitaura para com os hábitos e gostos dos humanos. Ophelia ouvi assombrada sobre o dinheiro. Porque os humanos simplesmente não pegavam as coisas de graça? Pagar por comida quando havia árvores dando frutos que poderiam ser colhidos à qualquer hora? Ela sinceramente não conseguia compreender.
— E se por acaso algum humano pegar algo sem pagar? O que acontece? — Indagou.
Percebeu que teria muito o que aprender para não agir como uma forasteira naquelas terras. Porém, suas preocupações sumiram tão logo o mago suspirou aliviado por tê-la agrado com o sanduíche, questionou-se se o garoto a achava intimidadora pois ele já suspirado de alívio tantas vezes que parecia que ela lhe causaria um infarto logo logo.
— Você suspira bastante, já notou? — Disse tentando provocá-lo. — Hmmm, pão... mostarda... São boas palavras, agradáveis de se dizer tanto quanto de comer. — Comentou, pensativa. Era uma criatura selvagem e livre, mas mesmo vivendo aquém do modo de vida humano, ela recebia estudos e lições, vindos do boca a boca dos anciões do bando. Ela gostava bastante de poemas e talvez fosse desse gosto que surgira a atração pela sonoridade das palavras.

A cervitaura e o mago, já apresentados, uniformizados e de contrato selado, agora caminhavam lado à lado, saboreando os sanduíches até chegarem à escadaria que os permitiria finalmente conhecer seus aposentos. Ophelia hesitou alguns instantes, antes de avançar pelas escadas. Apesar de pisar cuidadosamente, seus cascos não deixavam de fazer o chão tremer e atrair olhares, ao ser notada, a cervitaura estufou o peito e prosseguiu caminhando majestosamente, enquanto conversava com seu humano.
— Também espero. — Disse otimista. — Seria complicado ficar em um lugar pequeno, já é difícil evitar me bater nas coisas e nos outros por aqui. — Comentou enquanto desviava seu traseiro de cervo com sua cauda felpuda de alguns alunos.
Ophelia já se imaginou decorando sua parte do quarto com plantas, as penduraria nas paredes e talvez até no teto, para que suas folhas ficassem penduradas sobre sua cabeça e ajudassem a matar a saudade de sua floresta.
— Nenhum passarinho? — Falou cabisbaixa, substituíra a carranca imponente por olhos chorosos e um beicinho.

— Eu gosto de... Laranja. — Completou séria. Observou Aydan deixar escapar um olhar confuso e logo cortou a brincadeira. — Turquesa, é claro! Adoraria paredes turquesas e pedestais que lembrassem as colunas gregas do templo de Ártemis, eu colocaria várias plantas em cima delas. E no meio uma cama feita de folhas para eu esconder minhas orelhas nos dias frios.
— Acho que nossos lados do quarto irão contrastar muito bem um com o outro, mas primeiro precisamos chegar nele. Qual o caminho para nosso quarto? — Estava perdida após terem subido as escadas, haviam inúmeras portas e vários corredores.

Offline

#67 24-04-2021, às 17h51

Guarda Absinto
Azathoth
Procurando um colchão
Azathoth
...
Mensagens: 13

//i.ibb.co/pQSKjKq/turnosj01.png


imagina uma assinatura linda aqui rs

Offline

#68 25-04-2021, às 15h18

Guarda Sombra
AoiHikaru
Criadora de poções
AoiHikaru
...
Mensagens: 2 710

E D M U N D  E V E R G R E E N
https://cdn.discordapp.com/attachments/715088980638695425/824722334107041862/CollageMaker_20210325_153424465-1_Easy-Resize.com.jpg
22 ANOS ● MAGO ● ILUSIONISTA ● 174cm ● HOMO


INTERAÇÃO: Caius
LOCALIZAÇÃO: Quarto


----------------------Acrescentava à mente uma nova nota para que  lembrasse de não tentar entender Caius, enquanto o observava de canto com a expressão confusa e a celha a se erguer. A criatura hipogrifo parecia nem ao menos querer ser entendida, ao menos era isso que dava a entender quando emaranhava a mente do mago de tal forma que até mesmo tirava as palavras de Edmund. Bem, deixaria estar, por hora. Era melhor aceitar, somente naquele aspecto, a ficar dando murro em ponta de faca inutilmente. Se continuasse tentando diferenciar o que era sério da brincadeira, apenas confundir-se-ia ainda mais.

----------------------Sentiu um nó fechar sua garganta, tornando dolorido para a até mesmo engolir seco. Não tinha um terço da segurança que tentava passar, tirando a fita provocantemente. Até mesmo sua expressão pedante de autoconfiança parecia desaparecer pouco a pouco, deixando sua face em branco, seus olhos fitando diretamente o hipogrifo subir a blisa vagarosamente. Podia vislumbrar um relance do abdômen alheio apontando desnudo. Suas maçãs coravam com a vista, a cena parecia em câmera lenta o suficiente para retumbar-lhe o peito.

----------------------Seu olhar se encontrou com o do platinado ao que ela lhe volvia a face, mas Edmund era incapaz de ler sua expressão. O que ele estaria prestes a fazer, com aquele semblante nada inocente estampado na cara? As celhas em parábolas invertidas do mago traziam um leve linha na glabela. Mas o que o hipogrifo fizera a seguir era tudo que Edmund boa estava esperando. As sobrancelhas, antes curvadas em timidez, agora moldavam-se, uma erguida e a outra não, em uma descrença irônica para o que via. Mas que diabo de reação haveria de ser aquela. —É... sério isso? — perguntou, incerto até mesmo sobre o que pensar. Como já expusera antes, não sabia dizer quando Caius estava falando sério ou apenas tirando uma com sua cara. Involuntariamente, curvou o corpo para frente, como se procurasse por alguma pista. Por que, do nada, Caius tinha a timidez de uma garotinha indefesa? —Você não me pareceu tímido antes — deus de ombros, ainda a sustentar uma celha para cima.

----------------------Mas é claro. Nada daquilo era sério e logo o hipogrifo despontava a risada a ecoar. Edmund sacudiu a cabeça, praticamente decepcionado - consigo mesmo - por ter caído na pegadinha. —Por que eu não previ isso? — perguntou a si mesmo, retoricamente, exasperando um suspiro. Mas tinha que admitir, aquilo até que havia sido uma palhaçada bastante engraçada, a risada soprada se tornava inevitável, saindo anasalada, acompanhando o movimento de agitar da cabeça.

----------------------De volta aos negócios, o strip tease recomeçava, para valer, dessa vez. Era claro pelo ar que o mais alto tinha ao aproximadar-se da cama. Edmund encolheu-se ligeiramente, murchando o corpo dada a aproximação, somadas às palavras que ouvia. Seu ritmo cardíaco retomava a corrida gradativamente, suas mãos cravavam na cama macia. Sua boca não era capaz de proferir palavra alguma, e seus olhos, de deixar por um milissegundo a figura defronte, acompanhando cada milímetro que a camisa deslizava no corpo do outro, subindo e revelando a alva pele descoberta. A tez extremamente branva do albino facilmente se tingia de escarlate, assim que o tronco do hipogrifo se expôs. Tão perfeitamente esculpido, deixava o mago absorto observando como em transe.

----------------------Transe esse que só fora quebrado quando a peça de roupa voou-lhe nas faces. Agora sim, sentia-se numa boate exótica. Tão logo o tecido tocava-lhe a pele, suas mãos iam de imediato ao encontro do mesmo em reflexo, segurando, mas não descobrindo totalmente o rosto. Ainda ficava em uma altura que tampava sua boca, na altura do nariz, mas deixava à mostra suas maçãs maturadas vermelhas e o olhar constrangido.

----------------------Nem mesmo sabia o que responder, prendendo a atenção no puxar do elástico da peça inferior alheia, o qual o hipogrifo fazia de propósito para deixa-lho sem jeito. Conquanto, ele tinha um ponto.  Edmund sabia que, cedo ou tarde, acabaria tendo de se despir ali da mesma forma. Respirou fundo, ainda com a blusa do outro a tampar metade de sua face. E foi então que reparou o quanto era perfumada. Mas ao invés de permanecer cheirado (isso seria demasiado esquisito) retirou a peça, que deixou repousada ao lado de onde se sentava, enquanto punha-se de pé. A distância entre ambos era pequena o suficiente para quase esbarrarem-se. —É claro que sim, meu caro Caius, e agora é a minha performance! — fez um movimento de mão nos ares, até que pousasse a mesma contra o peito. —Mas eu não vou precisar das suas calças, meu querido Hipogrifo, iam caber três Edmunds Evergreens nela — disse. Aquilo estava longe de ser uma crítica, afinal, ao tamanho avantajado dos trajes inferiores da criatura.

----------------------Sem mais delongas, Edmund saiu-se para o lado, quase como se fugisse da proximidade com o platinado, escorrendo para próximo da cama. Livravasse das roupas, uma a uma, desabotoando e removendo as peças. Entretanto, fazia tudo da forma mais rápida que podia. Mas que lixo de show de strip tease era o seu! Bem, ninguém podia ser perfeito, e aquela era, aparentemente, a inabilidade da Edmund Evergreen. Só de pensar em um show particular para a criatura, suas bochechas queimavam como brasas carmesim. Não que não estivessem completamente coradas já naquele ponto. Fugia do contato visual enquanto punha-se desnudo. E rápido o suficiente, cobria-se novamente com a blusa do rapaz. Ficarava parecendo um vestido em si, de fato. —E então, satisfeito agora? — perguntou, forçando naturalidade. Mas suas pernas esfregavam-se uma a outra, e involuntariamente, uma das mãos puxava a baixo a barra da blusa, como se tentasse forçar a memsa abaixo para cobrir melhor alguma coisa. A outra mão, coberta de excessiva quantidade de pano, tapava metade do seu rosto, apoiando os nós dos dedos contra o nariz. E novamente, lá vinha o perfume do rapaz. Que moço cheiroso era ele, tinha de admitir! —Sabe, pra um mendigato, até que suas roupas são cheirosas até demais! — elogiou, praticamente pensando em voz alta. Não tinha como conter-se, Caius era cheiroso demais! Que perfume ele usava? —Hipogrifos são cheirosos assim ou é coisa sua? — acrescentou a questão, sem pensar muito a respeito. Engraçado, mas podia jurar que hipogrifos cheirariam a galinha. Ainda bem que estava - raramente - errado.


https://64.media.tumblr.com/71576a8a88188719bf2d921b4e9176d1/c26dd144d98be64d-97/s1280x1920/b183e89255d04e16fb4e33a8e72d25582a92543c.gifv

Offline

#69 27-04-2021, às 00h10

Guarda Obsidiana
Sorene
Treinadora de unicórnios
Sorene
...
Mensagens: 388

Última modificação feita por Sorene (10-05-2021, às 14h03)


Tentando  voltar a ativa  *u* ||Sign: Por @Hayoe (usar 1 semana)||BBcode: Por @Kaccall || PP: Seph ♡♡|| Im Sore
https://i.postimg.cc/NfXCMTX5/sorene.png

Offline

#70 28-04-2021, às 18h41

Guarda Sombra
CocoNut
Procurando um colchão
CocoNut
...
Mensagens: 29

https://i.postimg.cc/PJ0WsZJ8/Aphelios-divis-ria.png
https://i.postimg.cc/tgVP1Xfn/Aphelios-Perfil.png
https://i.postimg.cc/PJ0WsZJ8/Aphelios-divis-ria.png
I N T E R A G I N D O :  Jackal   L O C A L :  Arena de duelos
https://i.postimg.cc/PJ0WsZJ8/Aphelios-divis-ria.png
https://i.postimg.cc/htySmkn2/Aphelios-Turno.png


https://i.postimg.cc/13yQbvnw/dirrrrk.png
"The prince is awake "

Offline

#71 03-05-2021, às 17h33

Guarda Absinto
Hisui-chaan
Procurando um colchão
Hisui-chaan
...
Mensagens: 13

ANTON TCHEKHOV
https://i.ibb.co/7r6SmyT/4.jpg
—————————————————————————————— |   O verdadeiro matrimônio é uma mistura particular de amor,
—————————————————————————————— |  amizade, consideração e sensualidade.


Era pura falta de sorte que o Rei houvesse esperado tanto para me por a cargo da liderança de seu exército, gostava de estar no campo de batalha, ficar em pé ao lado dele fazendo presença era sem dúvidas a parte mais chata do trabalho. Mas infelizmente o progenitor estava um andar acima do braço direito do Rei, claro. Estar do lado dele usando farda com todas aquelas medalhas não fazia sentido nenhum, ação combinava mais comigo. Fora que a filha dele era insuportável.

Por fim, o filho do dito cujo não era apto ao serviço e quem chamaram? Lógico, euzinho. Por algum milagre consegui virar o jogo e o que antes era uma guerra perdida rapidamente começou a fazer os dados girarem. Claro, não era fácil e havia sido obrigado a meter-me no meio do campo para fazer as coisas acontecerem por mim mesmo. O resultado era minha pessoa, bem no meio do campo de batalha almejando derrubar o general do exército inimigo.─── Não se preocupe, só vai doer um pouquinho ───comentei depois de passar um dos dedos no lábio inferior limpando o sangue que um soco alheio havia tirado ao acertar a lateral do meu rosto. Sem demora puxando as duas adagas do cinto e avançando contra ele.─── Ara, ara, é homem suficiente para se achar no mãozão mas essa espada ai não serve pra nada? Não creio ───comentei sorrindo. Não o via, sim, não podia, não conseguia, mas ouvia tão bem que não precisava enxergar, cada movimento seu vibrava no solo e cortava o ar com força, característica de um brutamontes.

Repentinamente uma de minhas adagas acertou algo metálico e o cheiro forte de alguma coisa salgada se fez presente...não era sangue, havia errado? Pensei que seria alguma parte da armadura do cara? Mas não havia ouvido sons metálicos até aquele momento.─── Mas que ───assim que puxei adaga do que quer que fosse algo bateu contra o chão e voltou em mim, me melando mais que o suficiente. Só podia ser brincadeira.─── Maldito, como ousa brincar com a minha cara? ───indaguei irritado ao sentir aquela meleca escorrendo pelo meu rosto e possivelmente roupa. Na força do ódio avancei novamente contra o dito cujo  mas repentinamente fui atingido como que levando um soco de odores diversos, sons diferentes, não estava mais no campo de batalha, não mesmo. Parei abruptamente olhando em volta tentando entender.─── Ah...não me diga que...rolou de novo? Que isso em mim? ───levei uma mão a cara tocando o dedo no que quer que fosse e levei até a boca.─── Quem fez é bom na cozinha ───comentei sozinho lambendo o resto do que tinha na mão e guardei as adagas esperando alguém se pronunciar, pois não conseguiria usar meus poderes, conhecia aquele negócio.



——————————————————————————————— |   LOCALIZAÇÃO: Arena de Duelos
——————————————————————————————— |   INTERAÇÃO:: Kiyo e Dark

Última modificação feita por Hisui-chaan (03-05-2021, às 22h56)

Offline

#72 03-05-2021, às 20h01

Guarda Absinto
Hisui-chaan
Procurando um colchão
Hisui-chaan
...
Mensagens: 13

THIERRY PETIT
https://i.ibb.co/0ybQZfm/5.jpg
———————————————————————————— |   Sinto sua falta...
———————————————————————————— |   e não há um único dia em que não pense....
———————————————————————————— |   que por minha causa tudo podia ter sido diferente


Assim que toda aquela luz desapareceu e pude voltar a olhar diretamente para o meio do círculo confortavelmente cheguei a prender a respiração pasmo com o que via.─── Dois?....não pode ser ───olhei para os lados indignado e sem acreditar que era possível, afinal, invocação dupla era raríssimo, como logo eu ia fazer uma?. Eram dois rapazes, pareciam gêmeos. Ambos carregavam cabelos brancos platinados e olhos com heterocromia, além de uma belíssima pele morena. Quando voltei a respirar normalmente foi que parei pra ouvir os questionamentos alheios, percebendo que para além da aparência não eram nada parecidos em personalidade. O de cabelos compridos aparentava ser mais dócil, talvez medroso, o outro, era mais do tipo protetor e briguento.─── Vamos ter calma sim? Ninguém vai mach... ───e como se não bastasse lidar com a arrogância alheia, vieram palavras atrás de palavras me ameaçando.─── Pa...lhaço? ───senti uma veia saltar na testa, juntando toda minha paciência pra não perder a linha. Era uma ofensa recorrente mas na situação havia me incomodado.─── Você pode...por favor....calar a boca e me escutar ? ───falei pausadamente forçando um sorriso enquanto sentia o fio da paciência estalando.─── Xixixixiii, eu não falei ainda ───assim que percebi que ele ia voltar a reclamar e retrucar fosse lá o que fosse, ergui um dedo pedindo silêncio.─── Em primeiro lugar, vocês não são prisioneiros de ninguém, bom, tecnicamente só por esses minutos. Mas o objetivo desse círculo é impedir que criaturas arrogantes, desrespeitosas que poluem a nossa sociedade além de perigosas, entrem aqui no reino dos magos ───falei mantendo o foco e a serenidade.─── Basicamente isso daqui é um círculo de invocação, nós magos podemos ter uma criatura do vosso mundo para nos ajudar durante a trajetória como magos nessa instituição, e nesse caso, são vocês dois....algo muito, mas muito, difícil de acontecer, ainda me questiono se serei capaz de lidar com duas pessoas... ───expliquei pensativo.─── Vocês tem total direito de recusar assinar o contrato. Se aceitarem, me ajudarão durante a trajetória e poderão conhecer o mundo dos magos. Se não, voltam ao vosso mundo e vivam vossas vidas como antes ───informei apontando para o que nos rodeava e depois, para o círculo.─── Acho eu que coisas novas costumam ser interessantes, então lhes aconselho pensarem com cuidado ───dessa vez, sorri com tranquilidade pendendo levemente a cabeça para o lado. Logo me arrumei e mostrei o contrato com uma pena para ambos.─── Só não podem demorar, ou vão me encher a paciência ───me referia aos supervisores e o tempo que iria perder se eles pensassem eternamente. Claro, aquela altura já estava muito próximo ao círculo.

——————————————————————————————— |   LOCALIZAÇÃO: Arena de Duelos
——————————————————————————————— |   INTERAÇÃO:: Yin e Yang Long

Última modificação feita por Hisui-chaan (03-05-2021, às 20h04)

Offline

#73 09-05-2021, às 17h04

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/RBhx10f/SUZUKI-ED.gifhttps://i.ibb.co/h84KbyJ/IMG-3365.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ HAYAMI WAKAYAMA (@AoiHikaru)_____||_____L O C A L .*___ALGURES » ARENA DE DUELOS

 

______________A moça à sua frente parecia extremamente cativada pela sua presença. Suzuki semicerrou os olhos ao mesmo tempo que se formava um pequeno sorriso em seu rosto. Aquele tipo de reação não era nada de novo para o anjo caído. O seu poder funcionava assim mesmo, tinha aquele tipo de efeito nos humanos. Era como o canto das belas sereias que atraia os marinheiros até si e os levava à loucura. A beleza dela era irresistível aos olhos de meros mortais, como era o caso de Hayami. Não sabia dizer ao certo até onde a sua analogia com a sereia era verídica, mas por alguma razão caiu do céu.

Suzu bocejou cobrindo a boca com leves batidinhas da mão direita. Não sabia o que era aesthetic mas, vendo a expressão animada da garota, podia deduzir livremente que se tratava de algo bom. De repente, o nome masculino foi soltado pela rosada. A morena logo tornou o rosto bruscamente na direção da mais baixa, prestando atenção nas suas palavras.  ————  Kiyozinho... é seu namorado?  ————  estava sendo intrometida? Provavelmente. Estava preocupada? Não. A criatura já tinha vivido demais como para se preocupar em medir suas palavras ou sequer pensar antes de pronunciá-las. O semblante de Suzuki parecia o de alguém satisfeito. Ela era, realmente, um ser que deveria ser mostrado ao mundo. Presunçosa de si mesma como era, não se importaria se a maga a luzisse por aí como tinha dito que era seu desejo. Ainda que a menina, tão pequena e de constituição frágil, mais pareceria o seu chaveirinho do que propriamente a exibidora de sua voluptuosidade.  ————  Hmm talvez a gente seja, talvez não. Sabe, depende do ponto de vista  ————  ela não pertencia a lugar nenhum. O seu nome fora-lhe concebido por um humano, há muitos séculos atrás... era provável que o homem sim fosse conterrâneo de Hayami. Claro que isso seria uma história a ser discutida mais para a frente. Caso a relação entre elas se tornasse agradável o suficiente para Suzuki largar seu lado extrovertido e tomar uma outra postura.

Finalmente, estavam passando à parte que lhe interessava, sabia que aquela humana lhe traria um bom entretenimento futuramente. Lambeu os lábios devagar, pelo pensamento. Pegou a caneta estranha que a menina lhe entregara e assinou o pergaminho com rapidez e precisão.  ————  Feitinho querida.  ————  disse entregando-lhe o papel de volta para as mãos.  ————  Ahahah não é a primeira, nem será a última com certeza. Hum deixe-me pensar, um, dois, três...  ————  Suzuki parecia pensativa enquanto levantava os dedos conforme ia fazendo seus cálculos mentais. Depois de terminados devolveu o sorriso típico à face.  ————  Já tive cerca de cinquenta invocações minha flor.  ————  inclinou-se ligeiramente para a frente levando o seu rosto para perto do de Hayami. Passou os dedos delicados pelos fios rosados da mesma, estes que a faziam lembrar de belas cerejeiras florescendo.  ————  Como você mesma disse, é muito chato ficar presa aqui dentro, agora que o contrato foi firmado, que tal me libertar logo?  ————  a sugestão que mais se assemelhava a uma ordem saiu-lhe como um sussurro no ouvido da mais nova. Sentindo a garota arrepiar-se por breves momentos, soltou um riso abafado e se afastou cruzando os braços junto ao peito esperando ter seu pedido acatado dentro em pouco.
   
 

C R I A T U R A  D E  H A Y A M I 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A Shttps://i.ibb.co/vHn9M9w/734-Sem-Ti-tulo-20210213204434.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#74 09-05-2021, às 17h13

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/b59ZPvm/ASHER-ED.gifhttps://i.ibb.co/qrzXFBC/IMG-3377.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ SOPHIA WEINBERG (@Lady0Midnight)_____||_____L O C A L .*___SUA CASA » ARENA DE DUELOS

 

______________Ela parecia reagir melhor do que o esperado às suas palavras tranquilizadoras. O que era bom. Fez Asher soltar um pequeno suspiro de alívio. Pelo menos deu para perceber que ela era animadinha mesmo e não estava naquele estado de excitação só por culpa do nervosismo. No entanto, ainda que estivesse tudo a correr bem até ao momento, a sua pergunta pareceu apanhá-la desprevenida. Não era nada demais, e se ela não soubesse não faria mal. Não esperava uma resposta concreta para início de conversa. A questão tinha surgido para criar assunto mais do que por curiosidade ou qualquer outra motivação. Ainda assim, e sem certezas, Sophia tentou sarar a sua dúvida, que, num primeiro plano, até poderia parecer algo bem simples... pelos vistos não o era. Percebeu que a mulher estava bastante confusa quanto ao que dizer e via-se perdida nas próprias palavras e pensamentos. Nunca fora a sua intenção deixá-la em tal desatino ou conflito interno. Assim que ela se desculpou por não saber mais o que lhe dizer sobre as tais aulas que tanto lhes estavam a dar problemas e mal tinham começado ainda, Asher apressou-se a tentar apaziguá-la e sessar aquele tópico.  ————  A-ah, eu compreendo, não se preocupe, vou... vamos, ter tempo de descobrir como vai ser.  ————  abanava as mãos suavemente à frente do tronco como dizendo “Não tem problema”. Mas logo recebeu um largo sorriso da Weinberg. Era adorável, até, a forma como ela pensava neles dois já como uma verdadeira dupla... bem, era isso que eles eram na realidade, mas tudo ainda parecia tão estranho – ou surreal, melhor dizendo – para a kitsune. Teria de se acostumar a começar a pensar num “nós” em vez de no “eu” com que se tinha acostumado.

Toda aquela conversa de comida e strogonoff estava sendo demais para o homem, que cada vez se via com mais vontade de experimentar o prato embora quisesse suprimir aquela apetência ao máximo. Depois de dizer tudo aquilo sobre não ter curiosidade na cozinha humana, voltar atrás na sua palavra estava fora de questão. Também sabia ser bem orgulhoso às vezes. Queria deixar que Sophia o surpreendesse quando ele menos esperasse por isso.  ————  Ahah fico aguardando ansiosamente.

A garota também parecia agradada com as novas roupas. Observava-as tão atentamente quanto ele, enquanto lhe respondia. Agora que olhava bem para ela, e a comparava com outras mulheres que ali estavam também, Sophia tinha várias peculiaridades relacionadas à sua imagem. Cabelos platinados longos e fartos, pele branca, olhos encarnados, um porte robusto e uma estatura bem alta. Era quase tão alta quanto ele, ou seria maior?? Não podia dizer com certeza. Fazia tanto tempo que não convivia com uma humana tão de perto que quase nem se lembrava de como a diferença de altura normal entre ele e os mortais era tremenda. Pelo menos não teria de forçar o seu pescoço para falar com a maga, isso já era o suficiente para o agradar.  ————  Vamos experimentar então, não é só você que tem medo de não caber na roupa. Quero ver se isso realmente assenta bem em mim, não gosto de vestes apertadas.  ————  num instante vestiu o uniforme que lhe fora entregue. Não se sentia mal ali dentro. Estava livre de movimentos e parecia algo confortável, prático e bem fresco, embora também tivesse um casaco incorporado para os tempos frios.  ————  Não parece mau. Dá para se mexer com isso. O que acha?  ————  a pergunta foi para Sophia como um pedido de opinião sobre como ela via o conjunto nele, e sobre o que pensava do seu próprio uniforme que agora experimentava.  ————  Parece que também não ficou mal em você, que bom.  ————  comentou. Para Asher, conforto era tudo. Antigamente, costumava vestir apenas um kimono branco que lhe dava total locomoção e facilidade para se mover. Hoje em dia as suas vestes mudaram, mas porque vive num meio maioritariamente dominado por humanos magos, que têm as suas próprias regras de vestir e padrões estereotipados. Se não queria dar muito nas vistas era melhor não sair muito do comum.  ————  Agora então, se você quiser, podíamos ir explorar um pouco o recinto. Sempre será melhor fazer isso agora do que depois, no primeiro dia de aulas, andarmos perdidos por aí e chegarmos atrasados.  ————  concluiu olhando ao redor. O instituto era grande como imaginava, seria bem difícil conhecer tudo logo num dia e decorar todos os caminhos e salas rapidamente. Quanto antes melhor, era outro de seus lemas. Até porque detestava não chegar a horas a seus compromissos, no caso, as aulas que estavam por vir. Deixou a escolha do primeiro local que conheceriam para Weinberg, que parecia querer visitar tudo ao mesmo tempo. Asher ria da situação.
 
 

C R I A T U R A  D E  S O P H I A 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A Shttps://i.ibb.co/2sbNvZg/unnamed.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

#75 09-05-2021, às 17h20

Guarda Sombra
Riikaa
Procurando um colchão
Riikaa
...
Mensagens: 25

https://i.ibb.co/1XcCN2R/AYDAN-ED.gifhttps://i.ibb.co/N7hdyC9/IMG-3376.jpg
ℐ N T E R A G I N D O .*___ OPHELIA ARTEMIDAE (@Salanderinlove)_____||_____L O C A L .*___ARENA DE DUELOS

 

______________Como imaginado, a Cervitaura parecia não compreender o porquê do raciocínio humano levá-los a pagar até por produtos naturais. Aydan cessou o riso, que felizmente não tinha deixado Ophelia desconfortável, e pigarreou pronto para lhe explicar mais um pouco de como o mundo dele funcionava.  ————  Bem, sei que para você pode parecer bobo, mas é assim mesmo que funciona. Caso a gente pegue algo sem pagar há duas opções: ou o que a gente pegou é nosso por direito, como as pessoas que cultivam e colhem, ou a gente vai presos por roubar os pertences de outros.  ————  o garoto sentia-se voltando anos no tempo, mas desta vez na perspetiva da sua mãe que lhe ensinava tudo isto quando ele era ainda criança e estava aprendendo sobre a vida. Já muitas vezes tinham sido alvos de assaltos quando moravam na zona rural. Não era nada legal, literal e não literalmente.  ————  Ah, ainda pode acontecer que o que pegamos não seja de ninguém, aí não tem problema... tipo o que você sempre fez. A floresta não tem dono, então comer os frutos de lá é de boas. Só não sai comendo as frutinhas dos fazendeiros por aqui ahah.

Depois de pensar em como teria de levar a vida de mago com dupla dali em diante, e de que teria uma longa caminhada pela frente ensinando a azulada sobre como se comportar na sociedade, foi surpreendido por esta com o seu comentário.  ————  Suspiro? A-ah é... Fiquei meio nervoso na hora da invocação, agora estou meio que libertando toda a tensão aos poucos, por suspiros.  ————  coçou a cabeça sem jeito. Não estava à espera que ela fosse notar um tique daqueles. Teria de conter um pouco a sua vontade de suspirar dali para a frente. Limitou-se a fazer um sinal de concordância com a cabeça após as palavras da criatura. De facto, aquela combinação de sabores era deliciosa, e, apesar de nunca ter parado para pensar na sonoridade de ambas as palavras, não lhe pareciam difíceis de lembrar nem de ser pronunciadas. Só isso já lhe bastava para concordar com a afirmação da mulher.

Andar por aqueles corredores, embora amplos, não parecia uma tarefa muito fácil para Artemidae, que caminhava por vezes com dificuldade enquanto tinha cuidado para se desviar dos alunos que passavam perto de si. Queria conseguir ajudá-la, no entanto, nada podia fazer quanto ao seu longo traseiro de cervo. O beicinho que ela fez logo a seguir, após receber a notícia de que pássaros não seriam permitidos no dormitório foi, ao mesmo tempo que hilariante, também muito adorável. O humano simplesmente não conseguiu segurar mais uma risada.  ————  Nop, nem um passarinho para você Ophelia, infelizmente.  ————  ela parecia realmente triste, mas teria de se contentar em ouvir o burburinho dos animais do lado de fora da janela. Percebeu que, assim como ele, a garota já fantasiava com o seu quarto e em como gostaria de decorá-lo com plantinhas e outro enfeites. Parecia realmente uma menina normal falando e se entusiasmando com as decorações do novo lar... embora com gostos um pouco diferentes. A sua expressão confusa aliviou depois que Ophelia desfez a sua gracinha sobre a cor que usaria na remodelação. Por momentos, tinha ficado assustado ao ouvir laranja em vez de turquesa, pensou que o pouco que sabia sobre ela estava vindo à luz como uma mentira. Felizmente não era nada disso.  ————  Acho que não podemos alterar a cor das paredes, mas sempre pode colar coisas nela até que fique do seu gosto. Mas tem certeza sobre os pedestais e as folhas?? Vai ser difícil para limpar depois, para além de que nem sei se você pode colocar essas estruturas lá dentro...  ————  olhou-a com incerteza.  ————  Não queria estragar seus sonhos de quarto perfeito, porém temos muitas restrições por aqui.  ————  claro que mesmo se ela não conseguisse fazer tudo o que já estava planeando, era certo que os dois lados do cómodo compartilhado iriam contrastar de qualquer forma. Afinal, tinham gostos totalmente opostos?  ————  Essa é uma boa pregunta ahah, na verdade, também estou tão perdido quanto você. Lembro que quando visitei meus irmãos, aqui no instituto, os quartos eram num destes andares superiores... ou seriam inferiores? Ahhh já foi há tanto tempo que nem sei mais.  ————  gostaria de fazer melhor figura na frente da nova parceira, mas não poderia esconder sua memória de peixinho durante muito tempo e era sempre melhor ela saber disso desde já. Assim talvez começasse a prestar atenção nos caminhos por ele. Ainda por cima não se recordava se alguém lhe tinha entregado algum mapa de Arcanis.  ————  Acho que o único jeito vai ser perguntar para algum veterano, professor ou funcionário daqui.  ————  olhou em volta procurando alguém que correspondesse a uma das três categorias. Mas viu impossível de distinguir alguém ali.  ————  Agora, quem se enquadra em alguma das coisas que eu disse, não sei.  ————  olha o mico logo no primeiro dia.
   
 

M A G O  D E  O P H E L I A 
I. S O U N D T R A C K  II. F I C H A  III. E X T R A S https://i.ibb.co/XCdHyQY/734-Sem-Ti-tulo-20210219041433.png


https://cdn.discordapp.com/attachments/865542163903676426/874278935909793792/katy.gif

Offline

Páginas : 1 2 3 4 5